Dpjo

Os efeitos da expansão rápida da maxila sobre a permeabilidade nasal avaliados por rinomanometria e rinometria acústica

|Bruno Alberto Vidotti|Inge Elly Kiemle Trindade|

O objetivo deste artigo foi analisar os achados da literatura acerca das repercussões da expansão rápida da maxila (ERM) sobre a permeabilidade nasal, pela rinomanometria, que avalia a resistência oferecida pela cavidade nasal à passagem do fluxo aéreo, e pela rinometria acústica, que mede as áreas seccionais e os volumes de diferentes segmentos da cavidade nasal. Estudos que utilizaram a rinomanometria evidenciaram que a ERM determina uma diminuição significativa da resistência nasal, assim como o aumento da área de secção transversa mínima nasal (ASTM) em parcela significativa de pacientes. Estudos com rinometria acústica mostraram que a ERM determina, adicionalmente, um aumento significativo do volume da cavidade nasal anterior. Entretanto, é consenso que a ERM não se justifica, por si, como forma de induzir um padrão nasal de respiração em respiradores bucais habituais, apesar dos benefícios trazidos pela ERM em termos de permeabilidade nasal.

Palavras-chave: |Técnica de expansão palatina|Rinomanometria|Rinometria acústica|

Thursday, April 02, 2020 07:37