Endo

Biocompatibilidade das diferentes porções do conteúdo dos tubos de cimento AH Plus® pela implantação subcutânea

Josete Veras Viana portela, Rielson José Alves Cardoso, Cássio José Alves de Sousa, Huang Huai Ying

Objetivo: seguindo critérios da ISO/FDI e ANSI/ADA, objetivou-se avaliar a resposta tecidual ao cimento resinoso AH Plus® em suas porções inicial, média e final, e usando a mistura total das duas pastas que o compõem, com base na observação clínica da diferença de consistência, homogeneidade e fluidez desse cimento de acordo com a parte do tubo que se está utilizando. Métodos: foram realizados dois implantes subcutâneos na região dorsal em cinco cobaias “guinea pig” (Cavia porcellus) para cada porção do cimento testado e mistura total, nos tempos experimentais de 30 e 90 dias. Decorridos esses tempos experimentais, os animais foram submetidos à ortotanásia e os implantes removidos e processados histologicamente, obtendo-se cortes seriados corados com hematoxilina e eosina. Resultados: após a avaliação histológica — realizada de maneira qualitativa por um examinador calibrado, com o emprego de microscópio óptico utilizando-se aumentos de 20x, 100x, 200x, 400x e 1000x —, verificou-se que o cimento testado induziu resposta inflamatória moderada a severa após 30 dias, com expressivo infiltrado inflamatório; regredindo para moderada a suave após 90 dias, com discreto ou moderado infiltrado inflamatório, não havendo diferença entre as porções avaliadas. Conclusão: através dessa avaliação foi possível concluir que o cimento estudado não apresentou condições de biocompatibilidade dentro das condicões experimentais e parâmetros estabelecidos, e que não há diferença biológica quando se usa a porção inicial, média ou final, ou a mistura total das duas pastas, segundo a metodologia utilizada.

Palavras-chave: Teste de materiais. Obturação do canal radicular. Endodontia.

Como citar: Portela JVV, Cardoso RJA, Sousa CJA, Ying HH. Biocompatibility of the different portions of the content of AH Plus® sealer tubes through subcutaneous implantation. Dental Press Endod. 2011 Oct-Dec;1(3):56-64.

Tuesday, November 21, 2017 09:39