Endo

Reflexões sobre a conduta clínica e as sequelas após reimplante tardio

Marcos Sergio Endo, Izabela Volpato Marques, Fernanda Chiguti Yamashita, Nair Narumi Orita Pavan.

Introdução: a avulsão dentária é uma injúria severa e o manejo dos dentes e tecidos moles envolvidos durante e após o reimplante é de extrema importância para se obter um prognóstico favorável. Objetivo: o objetivo deste trabalho foi discutir sobre a conduta do reimplante tardio, baseado na exemplificação de um caso clínico, e sugerir quais as outras abordagens terapêuticas. Relato do caso: paciente do sexo feminino, 9 anos de idade, sofreu avulsão do elemento #11, o qual foi mantido a seco por duas horas. Foi realizado o reimplante do dente, seguido de contenção flexível durante quinze dias. O dente manteve-se com reposta positiva ao teste de sensibilidade pulpar por cinco meses e, posteriormente, foi iniciado o tratamento endodôntico com dez trocas de medicação intracanal à base de hidróxido de cálcio associado ao propilenoglicol. No controle clínico e radiográfico após seis meses, observou-se sinais de reabsorção radicular por substituição, que permaneceu em posição durante três anos. Conclusão: apesar do reimplante tardio ser uma opção de tratamento, outras abordagens clínicas devem ser estudadas e levadas em consideração a fim de minimizar sequelas futuras.

Palavras-chave: Endodontia. Traumatismos dentários. Reabsorção da raiz.

Como citar: Endo MS, Marques IV, Yamashita FC, Pavan NNO. Considerations on the clinical approach and sequelae after late replantation. Dental Press Endod. 2017 Jan-Apr;7(1):66-70. DOI: http://dx.doi.org/10.14436/2358-2545.7.1.066-070.oar

Sunday, September 24, 2017 21:49