Dpjo

Prevalência de má oclusão em crianças de 7 a 12 anos de idade

|Marcio Rodrigues de Almeida|Alex Luiz Pozzobon Pereira|Renato Rodrigues de Almeida|Renata Rodrigues de Almeida-Pedrin|Omar Gabriel da Silva Filho|

Objetivo: verificar a prevalência de más oclusões em 3.466 crianças com 7 a 12 anos de idade, matriculadas em escolas públicas nas cidades de Lins/SP e Promissão/SP. Métodos: considerou-se a relação sagital entre as arcadas dentárias, a relação interarcadas no sentido transversal e a relação de incisivos nos sentidos vertical e horizontal. Na relação intra-arcada avaliou-se a prevalência de diastemas, apinhamentos e perdas dentárias. Resultados: entre as más oclusões, 55,25% das crianças apresentaram uma relação molar de Classe I, seguida de 38% de Classe II e 6,75% de Classe III. Na relação de incisivos houve prevalência de mordida aberta em 17,65% dos casos, seguida de 13,28% para mordida profunda e 5,05% de mordida cruzada anterior. A mordida cruzada posterior foi encontrada em 13,3% das crianças. Na relação intra-arcada, 31,88% das crianças mostraram diastemas; 31,59%, apinhamento; e 4,65%, perdas dentárias.

Palabras Clave: |Má oclusão|Classificação de Angle|Oclusão normal|Epidemiologia|

miércoles, 19 de septiembre de 2018 21:09